quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

3º DESAFIO DOS 30 DIAS ESCREVENDO

3º DESAFIO DOS 30 DIAS ESCREVENDO


Oi gente!
Hoje eu irei escrever um genêro que eu nunca tentei antes...

A Comédia!

Espero que gostem, se a história for boa continuo...

Fiquem com o primeiro capítulo a seguir...



1

   Ele estava em seu minúsculo apartamento, o qual chamava de lar, e debatia-se para achar um lugar para por seu cacho de banana podre.
   O garoto sonhava em ser escritor, mas seu sonho se tornava mais difícil  há cada dia. Mark vendia sanduíches em uma grande franquia de Nova York, e o emprego não lhe deixava tempo para escrever, então um dia ele teve a ideia louca de fazer uma viagem de ônibus por todo os Estados Unidos e levando apenas uma mochila. Para o feito ele juntou dinheiro por um ano e vendeu o apartamento minúsculo.
   A viagem do garoto sairia em uma hora.
   Mark por fim decidiu por o cacho de banana em sua mochila, ele jogaria fora quando saísse do prédio.
   Faltava meia hora para o ônibus partir.
 O jovem escritor estava na porta do elevador apertando incansavelmente o botão para chamá-lo, quando Susie uma garota gordinha baixinha, com o cabelo loiro desgrenhado chegou. 
   Ela era incansavelmente irritante, quando começava a falar não parava mais, além de ser extremamente sarcástica, seria uma tortura ficar no mesmo elevador que ela. 
   - Você sabe que o elevador não vai vir mais rápido só porque você fica clicando no botão... - Disse ela rindo em um tom sarcástico. 
   Segundos depois a porta se abriu e o garoto jogou-se para dentro do elevador e fechou a porta rapidamente, clicando logo em seguida no botão para o terreo, ficando sozinho no elevador. 
  Ele saio andando tranquilamente do prédio, teria tempo suficiente para ir até a estação ferroviária.
  Mark estava na metade do caminho quando lembrou-se da banana podre, ele parou em frente a um lixeiro e tateou as costas a procura da mochila, quando ele se assustou. A mochila não estava em suas costas, devia ter a esquecido no elevador.
   O garoto alto e branquelo começou a correr em alta velocidade, recebeu mais xingamentos do que era capaz de contar, virou em uma esquina e esbarrou em uma placa que avisava para tomar cuidado, pois algo estava fresco.
  Na hora ele não entendeu direito o porque da placa estar no meio da calçada, mas quando ele caiu de cara sobre cimento fresco, tudo fez sentido.
 Cheio de cimento por todo o rosto o garoto levantou-se com cuidado, cuspindo o material que havia entrado em sua boca e retornou a correr, duas quadras mais tarde ele chegou ao prédio de onde havia saído.
  Mark correu para o elevador, o mesmo levou longos minutos para chegar, e assim que a porta se abriu ele verificou rapidamente o espaço, sua mochila não estava lá, muito menos na recepção, alguém devia ter encontrado-a.
   O garoto em desespero sentou-se nos degraus da fachada do prédio e ficou assim por longos minutos, Mark havia perdido tudo, o apartamento, os moveis, o emprego, a viagem e a passagem... Quando as passagens vieram a sua memória ele recordou que na verdade elas estavam em seus bolsos, talvez nem tudo estivesse perdido.
***
   Ao embarcar no ônibus e receber vários olhares de reprovação, muitos por estar soado e sujo e outros por ser o motivo do atraso da partida, naquele momento ele deu graças a Deus por não ser britânico, um rosto familiar se levantou ao lado do único assento vago, era Susie e seu sorriso irritante, em uma das mão ela segurava a mochila do garoto. Assim que Mark se sentou, ela virou se para ele e entregou a mochila dando um tapa na testa dele.
   - Ai! - O garoto reclamou.
  - É que tinha uma aranha na sua testa... - Ela respondeu mostrando a mão onde o aracnídeo se encontrava morto.
  A garota pensou por um tempo e depois retornou a tagalerar
 - Sabe porque a aranha é o animal mais carente do mundo? - Ela perguntou rindo e Mark fez que não com a cabeça, já arrependido de ter embarcado no ônibus. - Por que ela é um Arac-Need-You! 
  Após certo tempo, sua expressão mudou para preocupação quando o garoto começou a abrir a mochila.
   - Mark... Espero que eu não tenha quebrado nada, mas sem querer sentei em sua mochila... - Ela iniciou a conversa com cuidado, no mesmo momento em que a garota falou que havia sentado na mochila, Mark imaginou o estado que suas coisas se encontravam - Fez um barulho meio estranho como se um cacho de banana podre fosse amaçado. - Ela deu uma risada irritante.
   E assim foi boa parte do trajeto até que um grande imprevisto aconteceu com o ônibus, e todos foram obrigados a desembarcar, esse seria o início de uma longa aventura.

Continua...  


Esse foi o primeiro capítulo, talvez quando eu acabar esse desafio eu publique uma WebNovela sobre essa história...

Até amanhã!


Nenhum comentário:

Postar um comentário